Três dicas sobre como reduzir a sobrecarga das famílias – Aline Abreu e Andrade

Ao conviver com famílias de pessoas com autismo, é muito comum vermos o cansaço dos pais, que se viram do avesso para conseguir viabilizar o melhor para o seu filho. Equilibrar as diversas demandas: financeiras, logísticas (de levar e buscar), de estimulação e afeto é um grande desafio, para o qual infelizmente não temos uma solução pronta 100% eficaz. No entanto, a experiência de tantos anos acompanhando muitas famílias me ensinou alguns caminhos para minimizar um pouco esta sobrecarga. Quero compartilhar com vocês estes aprendizados, com três dicas.

1) Construa uma rede de apoio efetiva

Muitas vezes para criar esta rede, os pais se perguntam: “Com quem eu posso contar?” No entanto, a pergunta feita desta forma não nos ajuda a construir realmente uma rede de apoio. A pergunta certa a se fazer na verdade é: “com quem eu posso contar para que?” E por que esta é a pergunta correta? Porque uma pessoa pode ser ótima para te ajudar no transporte do seu filho para um local, mas péssima para te ajudar a estimulá-lo, por exemplo.

2) Aprenda a pedir ajuda

É muito importante que, ao pedir ajuda você deixe clara a sua expectativa em relação a qual suporte você precisa daquela pessoa no momento. Por mais que em alguns momentos ao deixar isto claro você se frustre, isto te dará informações sobre com quem você pode contar para que.

3) Separe bem o que pegar para fazer e o que delegar

É muito comum ver pais que passam muito tempo com o seu filho com autismo, mas mesmo assim sentem-se em débito e com a sensação de que deveriam fazer mais. Se isto acontece com você, pare para pensar se você está elegendo bem o que você vai fazer pessoalmente com o seu filho e o que vai delegar. Em relação a isto, a dica de ouro é fazer com seu filho as coisas para as quais você é insubstituível! Com certeza você sabe quais atividades são essas!

Seguindo estas três dicas, certamente você, pai ou mãe, fará uma melhor gestão da sua energia e se sentirá um pouco menos sobrecarregado, tendo com isto uma maior sensação de estar fazendo o que deve ser feito! Então, mãos a obra!

E se você tiver mais alguma dica de como melhorar a gestão da energia da família e reduzir a sobrecarga, compartilhe conosco.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

top