Dia Internacional da Síndrome de Asperger – 18 de fevereiro – Por Dr. Walter Camargos Júnior

autismo1. Hans Asperger foi quem descreveu em 1944, em língua alemã, o quadro clínico, que era bem diferente do que Kanner havia descrito em 1943.

2. Como foi publicado em alemão, o artigo só foi amplamente difundido, em inglês, nos anos 70.

3. O melhor livro sobre a História do Autismo / TEA é “Outra Sintonia”.

4. Como os autores são americanos a história é basicamente sobre fatos que ocorreram na Inglaterra e nos Estados Unidos.

5. Lá é falado sobre suas contribuições e também sobre seus erros. Mas não só sobre os erros do Asperger, mas também dos do Kanner.

6. Suas contribuições foram / são importantes, pois ampliaram o conhecimento que, inclusive possibilitou a percepção da existência do Espectro.

7. A retirada do termo nas Classificações Diagnósticas Institucionais Médicas se deve também às questões econômicas, já que em alguns locais os “planos de Saúde” só pagavam os tratamentos para o diagnóstico “Autismo”.

8. Atualmente para a classificação diagnóstica pelo DSM5 (usado nos E.U.) e a CID (usada no Brasil e em países europeus) fica claro que o profissional tem que saber TODO o arcabouço clínico do Transtorno, diferentemente das classificações anteriores, onde poderia não ter domínio total

9. Considerando que Hans Asperger era uma pessoa / um ser humano e que como tal erra, Eu também avalio que sim, ele errou, mas também marcou nossa história para sempre com seus acertos.

Tags

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

top