A fonoaudiologia pode contribuir para a evolução de crianças que já falam? – Por Patrícia Reis Ferreira

autismoNesta semana que comemoramos o Dia Internacional da Síndrome de Asperger, (Lembrando que segundo a CID 11 o termo “Asperger” já não é mais utilizado) gostaria de falar sobre a fonoaudiologia e as crianças com autismo que não apresentam dificuldades com a fala.

É comum os pais não entenderem por que o filho foi encaminhado para tratamento fonoaudiológico, uma vez que a criança domina a fala e não troca as letras ou os sons. Me questionam ainda sobre como eu poderia ajudá-los se o filho sabe falar!

Nem sempre as pessoas com TEA apresentam dificuldade na fala, no entanto é muito comum:

  • saber o que quer dizer, mas não conseguir se expressar pois a organização do pensamento não está adequada,
  • não compreender enunciados ou comandos mais complexos,
  • demonstrar dificuldade de compreender piadas/duplo sentido/metáforas,
  • não conseguir dialogar sobre assuntos fora do hiperfoco,
  • não se colocar no lugar do outro para compreender uma situação a partir de um ponto de vista diferente, entre outras.

O que muitos não sabem é que a fonoaudiologia atua também nesses aspectos! Quando o fonoaudiólogo tem prática com TEA, ele não quer que a pessoa apenas fale! A intervenção é feita abrangendo essas e outras habilidades a fim de que haja boa comunicação social e a interação ocorra de forma eficaz!

Portanto, procure auxílio de um fonoaudiólogo sempre que perceber que a comunicação social não está ocorrendo de forma eficiente!

Tags

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

top